Esquina sagrada


Pra variar, hoje venho com uma crônica informativa. Fiz um Mapa da Lapa, Rio, mais especificamente da Esquina Sagrada, local onde o poeta e amigos tomam sua cerveja. Usei fotografias de satélite do Google Earth. Apesar de serem imagens de mais de dez anos atrás, antes da construção do novo Circo Voador, elas podem ajudar o leitor a adquirir senso mais apurado sobre a localização geográfica da Lapa.

Tenho grande carinho pela Lapa, especialmente pelo que chamo, brincando, de Esquina Sagrada. O cruzamento da Riachuelo com a Lavradio. A rua do Riachuelo e a Mem de Sá são as duas artérias principais da Lapa. A Riachuelo vem do Estácio, da Cruz Vermelha e termina nos Arcos. A Mem de Sá começa pouco antes dos Arcos, passa por ele e vai até a Cruz Vermelha. A rua do Lavradio é a primeira transversal que cruza a Riachuelo e a Mem de Sá, depois dos Arcos. No final da Lavradio, perto da Praça Tiradentes, fica o já lendário Rio Scenarium.

Se você estiver no Rio e quiser vir à Lapa, o centro boêmio do Rio, é a coisa mais fácil do mundo. Pode perguntar a qualquer pessoa na rua, que ela vai te informar quais os ônibus que vão pra lá. Estando na zona sul, os ônibus que passam na Lapa são o 409, 410, 433, 464, 434 e 572. Que eu me lembre. Os táxis no Rio também não são muito caros. A tarifa começa, senão me engano, em R$ 3, 60. Um táxi de Copacabana até a Lapa, não sendo na hora do rush, fica em torno de R$ 15 a R$ 20.

A Lapa tem opções para todos os gostos: punks, gays, mauricinhos, intelectuais, curiosos, amantes do hip hop, da sinuca, etc. Na Mem de Sá e na rua do Lavradio, há muitos bares novos, do tipo mais sofisticado, aceitam todo tipo de cartão e estão sendo frequentados por toda classe média carioca.

Minha sugestão é o Arco Íris, na Mem de Sá, para tomar umas cervejas num bar tradicional. Para quem gosta de chop, o Bar do Juca, quase em frente, resolve o problema. Para comer, vale a nova Pizzaria Encontros na Lapa, também ali do lado. Sem esquecer que temos os tradicionais Bar Brasil (comida alemã) e o Nova Capela (com um contra-filé insuperável).

Depois, vale a pena dar um rolê pela Joaquim Silva, que começa nos Arcos. Mesmo se você não curtir o underground, é importante conhecer. A Joaquim Silva às vezes fica meio baixo astral porque é a área mais reprimida da Lapa, devido ao fato de ser a área mais popular, com bares simples e muita concentração de ambulantes. Também há festas legais no Tá na Rua e nas casas de show da Mem de Sá, no trecho antes dos Arcos.

Caso você queira um barzinho mais refinado para rolar um clima romântico com a gata, ou gato, vá para o Gato Negro, bar novo que abriu na Riachuelo, alguns metros depois dos Arcos.

O Gato Negro fica bem ao lado da Esquina Sagrada, onde o poeta Miguel do Rosário e amigos, tomam cerveja a 2,30 a antartica. Se você pedir, o Paulo, gerente-garçom traz uma bem gelada. As mesinhas ficam na rua. A observação da arquitetura dos prédios, principalmente o enorme edifício colonial que fica do outro lado da rua, na esquina da lavradio com a riachuelo, será um grande momento de sua existência.

Esse bar é frequentado por todo tipo de gente. Quando a Lapa está muito cheia, ele também fica badalado, mas normalmente é um bar de trabalhadores e travestis, com uma mesa ou outra ocupada por intelectuais.

Leiam também essa crônica que escrevi, meses atrás, sobre a Lapa. De lá pra cá, o bairro continua crescendo...

Confiram esse site aqui, com informações completas sobre o bairro boêmio. Você encontrará a programação das diversas casas de show.

2 comentários:

Darlan M Cunha disse...

Caro Miguel do Rosário,

Fico-lhe grato pela gentileza da visita ao PALIAVANA, bem como pelas felicitações de Ano Bom, que eu retribuo.
Parabéns pela bela página, à qual voltarei.

Darlan M Cunha

Miguel do Rosário disse...

falou darlan. obrigado.

Seguidores

 
BlogBlogs.Com.Br