poema anti-intelectual

(Egon Schiele - Auto-retrato)
***

todos eles, brincam de guerra
como crianças
arrancando a casquinha da ferida
todos eles, brincam de guerra
como tolos
que acreditam
no que lêem
e, pior, no que esrevem
escutam rádio
e acreditam
vêem tv
e acreditam!
suas mãos são tão brancas
suas faces empalidecem
cada vez mais
eles discutem o futuro
da literatura
com a displicência
blasé
de quem leva o cachorrinho
para fazer cocô na praça
há sempre qualquer coisa
de insuportavelmente
pedante em sua atitude
acham que a poesia
tem algo a ver
com os livros caros
e enfadonhos
(geralmente autores contemporâneos
de países eslavos, ou então pós-modernos
norte-americanos)
que lêem
enquanto a gente
bebe cerveja, faz amor
e recita Dante
são tão chatos, meu Deus!
são como velhas beatas
a encher o saco do Criador
acho que vou começar a ler
aquele Jack London que comprei
no sebo do Largo do Machado

Um comentário:

artista disse...

porra, eu amo o egon!

Seguidores

 
BlogBlogs.Com.Br